Primeira Conferência UnB Promotora da Saúde

 

 

PROMOÇÃO DA SAÚDE

 

 

Abertura de evento dá destaque à saúde da Comunidade Universitária

A abertura da Primeira Conferência UnB Promotora de Saúde (22/10), evento promovido pela Diretoria de Atenção à Saúde da Comunidade Universitária (DASU/DAC/UnB), foi marcada pela presença de importantes representações, entre elas, a magnífica reitora, professora Márcia Abrahão Moura; a representante da Organização Pan-Americana da Saúde no Brasil (OPAS/OMS Brasil), Dra. Socorro Gross Galiano além do decano de assuntos comunitários, professor Ileno Izídio da Costa, líderes comunitários, professores e técnicos, entre outros. 

A servidora aposentada, coordenadora do Sindicato dos Trabalhadores da Fundação Universidade de Brasília (SINTFUB), Francisca Nascimento Albuquerque, iniciou o evento destacando que o Brasil está vivendo duas pandemias: uma de cunho social, a doença em si, e outra política, com grandes ataques aos movimentos, sindicatos e serviços públicos e reforçou a importância da promoção da saúde como sendo um grande desafio na defesa à saúde pública. 

Professora Odete Torres, coordenadora da Associação dos Docentes da Universidade de Brasília (AdUnB), informou que a entidade participará do GT Trabalho e Saúde o qual fará uma avaliação diagnóstica em relação à perspectiva do trabalho docente. Problemas como a falta de um plano de saúde que envolva de forma mais direta o corpo docente além de protocolos e diretrizes voltados ao retorno do trabalho presencial também serão produtos de discussões para se construir uma política eficiente aos trabalhadores e, também, a comunidade universitária. 

Professor Illeno Izídio da Costa, Decano de Assuntos Comunitários (DAC/ UnB) fez, mais uma vez destaque da importância da saúde mental e salientou que a UnB é uma das pioneiras na promoção da saúde. Ressaltou, no entanto, que os desafios são muitos e trouxe perspectivas positivas na proposta do evento em questão: pensar a Universidade como um todo, assim como na vida proporcionando princípios práticos a serem submetidos na construção de uma política de proteção à saúde. 

Tema como integração das instituições do ensino na saúde, no sentido de se utilizar os diversos ramos do saber das universidades públicas como vetores de conhecimento em busca de uma melhor discussão em torno da melhoria da saúde do ser humano também foram pontos reforçados na abertura. 

O coordenador de atenção primária à saúde do Distrito Federal, Erick Fernando Damascena Moreira, exprimiu a necessidade de atualizar o modelo assistencial a saúde com a finalidade de diminuir a fragmentação do sistema. Segundo ele, para se alcançar uma rede integrada de promoção da saúde é necessário um processo de reflexão e crítica contínuos para atualizar o modelo e atender a nova sociedade e seus problemas. 

Professora Márcia Abrahão finaliza o evento parabenizando a importância de um evento dessa natureza, em tempos de pandemia. Segundo a reitora, a proposta é inovadora, pois traz um desafio entre viver e trabalhar com saúde em uma comunidade tão grande como a Universidade de Brasília. 

Na ocasião, professora Márcia aproveitou para anunciar os trabalhos que estão sendo realizados pela atual gestão: a implementação de um plano de saúde institucional; parcerias com o Governo do Distrito Federal (GDF) no intuito de se construir uma Unidade Básica de Saúde para a comunidade.