AMBIENTES SAUDÁVEIS E SUSTENTÁVEIS
Política de parcerias e institucionalização dos projetos foram pontos fortes de discussão do GT


No segundo dia da Primeira Conferência UnB Promotora da Saúde (23/10), a manhã foi repleta de GTs que discutiram desde direitos humanos até ambientes saudáveis, que foi exatamente o tema do GT5: Ambientes Saudáveis e Sustentáveis, que contou com a coordenação da Profa. Laércia Abreu Vasconcelos e teve como ativadores o Prof. Pedro Zuchi, Prof. Gehre Galvão, a própria Profa. Laércia Abreu Vasconcelos e ainda a relatoria da Ana Laura Gomes, Bruna Nunes, Vanessa Correa, da técnica administrativa Daniela Bezerra (Faculdade de Ciências da Saúde), e da Márcia Denise Saraiva. 

O GT começou com uma rodada de apresentações e exposições iniciais de propostas e questões, liderada pela Prof. Laércia Abreu Vasconcelos. Após fala inicial da coordenadora Laércia, o professor Thiago Gehre assumiu a palavra, e foi seguido pelo professor Pedro Zuchi e pela professora Solange Alfinito. A quarta ativadora a tomar a palavra foi a coordenadora do Comunica FS, Daniela Bezerra,que propões uma reflexão sobre a temática de como todos nós podemos colaborar na construção de ambientes de trabalho acolhedores a partir da experiência pioneira
da FS, do ponto de vista técnico e cultural. Criando assim uma rede entre todas as faculdades da universidade, incentivando a elaboração de atividades institucionais focadas no acolhimento de toda a comunidade acadêmica (alunos, docentes, funcionários, colaboradores, servidores) – como é o Comunica FS, que faz parte da agenda promotora de saúde da FS | UnB.
Daniela apresentou, também, como exemplo, a criação do projeto FS Cultural, uma fonte de criação original de conteúdo cultural por meio de vídeos. Criar consciência de que a Universidade tem seu valor medido além da sua produção científica, abrangendo a criação cultural, artística, ambiental (criando e cultivando espaços verdes) e esportiva da universidade é um dos pilares fundamentais para o sucesso pleno desse espaço universitário e público.
Interdisciplinaridade como canal de realização coletiva para um futuro sustentável e saudável. Daniela ressaltou também que parcerias são fundamentais e necessárias para a criação dessas ideias e projetos, que precisam de uma adesão máxima para potencializar seu alcance. Sua fala abriu o debate para atividades e recursos voltados a essa promoção de saúde dentro da universidade e envolveu os participantes, docentes e alunos, em uma discussão importante no que envolve o futuro da Universidade de Brasília. O GT seguiu, então, com a fala da mestranda da FS Lívia Carvalho, da estudante do campus de Ceilândia, Ana Laura, e da estudante Viviane Soares, estudante e moradora da Casa do Estudante (CEU/UnB), que fez questão de ressaltar a importância da fala da Daniela sobre espaços acolhedores.

Mais uma rodada de falas ocorreu, e Daniela apresentou algumas outras propostas, como a revitalização do espaço Cora Coralina, que hoje é mantido pelos alunos e colaboradores, sem o apoio institucional da faculdade, e é amplamente utilizado pelo público da FS e da UnB em geral - trazendo assim, a problemática desses espaços não institucionalizados - que tem seu potencial podado pela falta de investimento e divulgação. Daniela incentivou uma interconexão mais forte entre os setores da UnB a partir de uma política de comunicação reformulada. O FS em Movimento, um sistema dentro do site da FS, é um movimento pioneiro que tem como objetivo exatamente esse levante midiático e levar ao público geral, o que
segue sendo realizado na UnB durante o momento de isolamento e quarentena.


Além de divulgar trabalhos de extensões que seguem ocorrendo. A partir dessa última fala, foi feita uma síntese para a escolha do que seria levado a plenário e o GT se encerrou após uma manhã vibrante de discussões e propostas para a criação de políticas que incentivem ambientes saudáveis e sustentáveis dentro da Universidade de Brasília.