Colóquio Internacional discute equidade e inovação social no contexto da Promoção da Saúde

Nesta sexta-feira, 12, a Rede FS Promotora de Saúde, por meio do Sistema de Integração Ensino-Serviço-Comunidade (Siesco) das Faculdades de Ciências da Saúde e de Medicina da Universidade de Brasília (FS E FM/UnB), realizaram o Colóquio Internacional Universidade Promotora de Saúde. Sob o tema “Em direção à promoção da equidade e inovação social”, o colóquio foi realizado na FS e contou com a participação de estudantes, professores e profissionais da UnB, do Distrito Federal, da Secretaria de Saúde do Goiás e do Instituto Federal de Goiás.

Os participantes tiveram a oportunidade de conferir uma prévia da apresentação dos trabalhos científicos feitos por professores e estudantes da UnB para apresentação no VIII Congresso Ibero-americano de Universidades Promotoras de Saúde, “Promoción de la Salud y Universidad: Construyendo Entornos Sociales y Educativos Saludables”, a ser realizado em junho deste ano na Universidad de Alicante, localizada em San Vicente del Raspeig, na província de Valência, Espanha. Os trabalhos demonstraram a necessidade, de cada vez mais, discutirmos e melhorarmos as condições para promoção da saúde nas instituições de ensino.

Renata Navega, representante da Comunidade de Sustenta Agricultura de Brasília, apresentou a experiência que proporciona novas vivências com a alimentação. O conceito de uma CSA nos apresenta uma prática de sucesso para um desenvolvimento agrário sustentável e o escoamento de produtos orgânicos de uma forma direta ao consumidor, criando uma relação próxima entre quem produz e quem consome os produtos.

Em seguida, a convidada internacional Paolla Ardilles, professora da Faculdade de Ciências em Saúde Simon Fraser University, de Vancouver – Canadá, fundadora e presidente da Bridge for Health Cooperative e membro da Diretoria da Associação Canadense de Saúde Pública da British Columbia, levou a todos a refletirem sobre a formação dos profissionais de saúde.

A palestrante considerou as novas tecnologias, as metodologias de ensino-aprendizagem e a função social das instituições de ensino e, claro, a promoção da saúde. “Existem áreas em que devemos focar para criar ambientes saudáveis como espaço físico, relações interpessoais, apoios financeiros e comunicação. Precisamos criar um bom ambiente dentro e fora da universidade, pois necessitamos pensar o tipo de seres humanos que estamos criando depois que eles se formarem”.

Confira outras fotos neste link!

 

Por Lorany Stefanny,

Comunica FS