Go to the content
or

 Go back to Notícias Com...
Full screen

Curso de Saúde Coletiva da FS recebe nota máxima em avaliação do MEC

September 4, 2017 16:42 , by Ádria Albarado - | No one following this article yet.
Viewed 365 times

A Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade de Brasília (FS/UnB) mais uma vez está em festa. O curso de graduação em Saúde Coletiva recebeu nota máxima na avaliação in loco realizada pelo Ministério da Educação (MEC) nos dias 28 e 29 de agosto. A avaliação é composta por três dimensões: organização do projeto pedagógico, corpo docente e estrutura física. Seu objetivo é a renovação – ou, como no caso da Saúde Coletiva - o reconhecimento do curso junto ao Ministério.

Na manhã desta segunda-feira, 4, o Centro Acadêmico de Saúde Coletiva (Cagesco) enviou nota informando professores, técnicos e estudantes do curso sobre o excelente resultado. “Depois de muito esforço por parte do Departamento, professores, Centro Acadêmico, direção da FS e alunos, o curso de graduação em Saúde Coletiva do campus Darcy Ribeiro recebeu uma nota 5 na avaliação do Ministério da Educação (MEC). Essa avaliação tem grande importância na formação dos alunos e agora, Saúde Coletiva é, oficialmente, um curso de excelência”, ressalta o texto.

O curso de Saúde Coletiva foi implementado como graduação na UnB em 2010 pelo Departamento de Saúde Coletiva (DSC – FS/UnB). Para a diretora da FS, professora Maria Fátima de Sousa, que integra o corpo docente do curso, a nota máxima é motivo de orgulho e alegria. “Parabenizo o coordenador do curso, prof. Natan Monsores, em especial as professoras Cláudia Pedrosa, Denise Furlanetto, Dais Rocha e o professor Everton Pereira. Em seus nomes, estendo a cada um(a) de nossos(as) professor@s, estudantes e técnicos administrativos que, desde a criação do curso, nunca mediram esforços para cumprir sua missão sócio-política-pedagógica junto à formação eticamente comprometida de nossos estudantes”.

A diretora ressaltou ainda o papel da comunidade acadêmica e dos investimentos da direção da Faculdade, a exemplo da formação e fortalecimento dos Núcleos Docentes Estruturantes (NDE), busca de consultoria para a reforma das matrizes curriculares com corredores multidisciplinares e a própria criação do Sistema de Integração Ensino-Serviço-Comunidade (Siesco). A disponibilização de espaços promotores de saúde, onde professores, técnicos e estudantes podem dedicar-se aos estudos e à convivência harmoniosa como a Sala de Leitura D. Marly, o Espaço Cora Coralina, Poltronas Livro, Plante um livro no Jardim, dentre outros, também foram lembrados. “Credito o bom desempenho do curso ao potencial da nossa comunidade e aos projetos estratégicos da nossa casa [FS/UnB], pois a cada dia buscam promover uma formação com excelência técnica e relevância social para o nosso país”, afirma Fátima.

A chefe do Departamento de Saúde Coletiva, Daphne Rattner, reconhece as iniciativas como oportunidades de melhorias constantes. “Estamos com a possibilidade de melhorias com o edifício dos novos laboratórios, a reforma da sala dos professores, a disponibilidade de um bom laboratório de informática para pesquisa e ensino, temos o sistema saúde-escola [Siesco], termos a FS com o título de Faculdade Promotora de Saúde, enfim, são inúmeras iniciativas que nos deram condições de ter essa excelente avaliação”.

 

Por Patrícia Teixeira e Ádria Albarado