Go to the content
or

 Go back to Notícias Com...
Full screen

FS recebe oficina sobre defesa do direito à saúde e às cidades

June 1, 2017 0:00 , by Augusto Modesto - | No one following this article yet.
Viewed 14 times

Oficina sobre defesa

 

Sob o tema “Mobilização e Defesa (Advocacy) do direito à Saúde e às Cidades, a oficina foi realizada pelo Grupo Temático Promoção da Saúde e Desenvolvimento Sustentável (GT PDSD) da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco). O evento ocorreu nos dias 9 e 10 de junho, na Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade de Brasília (FS/UnB).

Ao todo foram 40 participantes, sendo 15 representantes do GT PSDS das cinco regiões do Brasil; 25 de instituições parceiras; gestores e lideranças da sociedade civil de municípios e do Distrito Federal. A atividade teve a intenção de promover a discussão acerca dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), agenda mundial adotada durante a Cúpula das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável, em 2015, composta por 169 metas e 17 objetivos que deverão ser atingidos até 2030.

O debate identificou estratégias para a promoção da saúde, no contexto metropolitano brasileiro, de acordo com as demandas da sociedade. “O objetivo desse evento foi um alinhamento conceitual metodológico e reconhecer potenciais parceiros que nacionalmente estão trabalhando essa agenda”, expressou Dais Rocha, coordenadora do GT PSDS, ao explicar que esse foi o primeiro encontro preparatório para a realização de oficinas nas 12 metrópoles brasileiras.

O diálogo com a Frente Nacional de Prefeitos para inserção na programação do IV Encontro dos Municípios com Desenvolvimento Sustentável e o Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde para a concretização da ação teve início em janeiro deste ano. Segundo Dais, os GT’s em cada um dos centros urbanos realizarão atividades diferentes como o monitoramento e avaliação dos indicadores ODS. Na FS, serão oferecidas disciplinas e projetos voltados para os temas.

A lei Nº 13.089, de 12 de janeiro de  2015, denominada Estatuto da Metrópole, estabelece diretrizes gerais para o planejamento, a gestão e a execução das funções públicas de interesse comum em regiões metropolitanas e em aglomerações urbanas instituídas pelos Estados, normas gerais sobre o plano de desenvolvimento urbano integrado. Ainda de acordo com Dais, é com essa perspectiva que serão realizadas atividades nas quais gestores, trabalhadores e sociedade civil pensem na defesa da promoção da saúde. Ela contou, ainda, que essas oficinas do direito à saúde e à cidade são realizadas em diálogo com o ODS, cujo o 11º objetivo é “tornar as cidades e os assentamentos humanos inclusivos, seguros, resilientes e sustentáveis”.

LoranyStefanny,

ComunicaFS